Pesquisar este blog

domingo, 31 de outubro de 2010

Porque os ratos também choram.

Para quem gosta de quadrinhos como eu, vale muuuito a pena conferir o trabalho de Fernando Gonsales e seu Niquel Náusea. (o "primo" estranho e brasileiro do Mickey Mouse...)



Você pode ver mais no site:




Fernando Gonsales é cartunista e veterinário brasileiro, exercendo a última profissão essencialmente entre a prancheta, o lápis e o nanquim. Já foi dono de uma pulga de estimação que se alimentava do seu próprio sangue, mas agora dedica-se mesmo ao seu personagem principal, o rato Níquel Náusea. Em suas tirinhas muitos outros bichos aparecem, revelando o cotidiano inusitado destes seres que ainda colocam muita gente em cima de cadeiras e mesas. Níquel Náusea começou a ser publicado na Folha de São Paulo em 1985 onde continua até hoje. Outros jornais do Brasil também publicam o seu trabalho além do Diário de Notícias, de Portugal. Para facilitar a nossa vida, suas tirinhas foram reunidas e hoje podem ser encontradas nos livros: Os Ratos Também Choram, Com Mil Demônios, A Perereca da Vizinha, Vá Pentear Macacos, Botando os Bofes pra Fora e Nem Tudo que Balança Cai.


terça-feira, 26 de outubro de 2010

TAKASHI MURAKAMI - toy art no palácio de Versailles...

Mais uma novidade polêmica de Takashi Murakami (querido por muitos críticos e curadores), que mistura toy arte, artes gráficas, arte clássica japonesa e arte pop...e...comércio...  ;)

A arte mais clássica e luxuosa de Luís XIV, acessível apenas a uma pequena minoria, encontra a arte japonesa - aquela que nasceu da tradição nipónica para as crianças e se expandiu para o ocidente e todas as faixas etárias. Universalidade e elitismo são as palavras-chave para a nova exposição de Takashi Murakami: a Toy Art no Palácio de Versalhes, em Paris.
Considerado pela revista Time uma das cem pessoas mais influentes do mundo em 2008, Murakami é um artista japonês que se especializou na arte puku (conceito que nasceu da junção das palavras "popular" e "okaku", que remete para os interesses obsessivos do mundo moderno). De forma equivalente à pop art proveniente dos pólos culturais ocidentais, Murakami inspira-se nas séries de manga, no anime e em videojogos para criar peças coloridas que parecem ter saído de um desenho animado.



Agora, o Palácio de Versalhes convidou este artista para ocupar 15 das 700 salas do museu e deixar a sua marca. O resultado é um contraste entre os dourados da realeza, com pinturas renascentistas de estilo barroco, e as cores berrantes da animação japonesa; as cenas religiosas e mitológicas da pintura renascentista são agora acompanhadas da contemporaneidade dos desenhos frenéticos deste artista que encurtou a distância entre a chamada alta cultura e a cultura popular.

É provável que o Versalhes da minha imaginação corresponda a um exagero. Para mim, o lugar tornou-se completamente separado, um mundo irreal. É isso que eu tentei transmitir nessa exposição. Eu sou como o gato Cheshire que dá boas-vindas à Alice com o seu sorriso diabólico e convida-a a conhecer o País das Maravilhas de Versalhes", explicou Murakami em relação à exposição, que fica até 12 de Dezembro no palácio.
Além de produzir instalações, Murakami é também pintor, escritor e trabalha em media. Nas suas palavras: "Quando me pergunto como é a cultura japonesa, concluo que tudo é subcultura. Logo, a arte é desnecessária".

Empresário incentiva moradores de rua a fazerem arte

Achei interessante esta matéria do UOL.

O empresário Marcos Amaro reúne alguns moradores de rua para fazerem uma exposição de fotos artísticas sobre a cidade. Além da exposição na Oscar Freire as fotos foram para leilão na Daslu.

A proposta do empresário é levar esta visão dos moradores de rua para a elite. Veja matéria completa com as fotos neste link:

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2010/10/19/fotografos-em-situacao-de-rua-em-sao-paulo-expoem-arte-para-a-elite.jhtm

sábado, 23 de outubro de 2010

Marcia Lepage na Vejinha São Paulo

Nessa semana, na coluna Boas Compras da Vejinha São Paulo, estão sendo apresentados produtos feitos de material reciclado. Bem em sintonia com a preocupação cada vez mais presente em se preservar os recursos naturais de nosso planeta, e entre as demais peças apresentadas, está a fruteira Cacos criação de nossa amiga e colaboradora do arte-o-rama, a designer Marcia Lepage.


:)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

2º Fórum Latino Americano de Fotografia de São Paulo

Pela segunda vez, em São Paulo, acontece o Fórum Latino Americano de Fotografia. Essa edição so evento tem como tema "Fora de Casa, Fora do Eixo, Exílios e Migrações na Fotografia" e está se realizando no Espaço Itaú Cultural, de 20 a 24 de outubro.



Pra quem curte fotografia e quer acompanhar, mesmo sem poder se deslocar até o local do evento, no site do fórum tem uma opção para ver a programação online, ou ver os vídeos gravados do que já aconteceu nos outros dias. O link é http://www.tvaovivo.tv.br/itaucultural/forumfoto/# 

:)

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

R.U.A. - Reflexo on Urban Art


Anteriormente vista como arte marginal, pichação e vandalismo, o grafite, hj grande é influencia em design, publicidade, moda, tatuagem e na arte contemporanea, passando dos muros das cidades para as galerias e exposições.
Esse é um site muito bom sobre essa "Arte Marginal", confiram!!!

http://ruafestival.org/blog/

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Esculturas em papel

Vagando pela net, encontrei esse site... http://www.petercallesen.com/   é de um escultor que faz seus trabalhos a partir de uma folha de papel.
Achei absolutamente espantoso. Vale a pena conferir.



quarta-feira, 6 de outubro de 2010

LOVESICK - Zumanity

Acabei de assistir o documentário "Lovesick", que conta alguns fatos da montagem e bastidores do show "Zumanity", encenado em Las Vegas...

...Fico sempre bestificada com o profissionalismo e estrutura dos shows.

Pra mim, que não sou muito dessa área, fico maravilhada com os conflitos entre: Realidade - Representação - Profissionalidade - Vida real - Arte - Comércio - Sentimentalidade - Egos - Personagens...

Vale muito a pena conferir, vejam pelo trailer...



http://www.youtube.com/watch?v=4_kgxTAmCYU

domingo, 3 de outubro de 2010

Enquanto isso....distante da bienal.......



Com obras nos principais museus de arte contemporânea do mundo, como o Metropolitan, o Whitney, o MoMA, de Nova York e o Reina Sofia, de Madrid, Vik Muniz, artista plástico brasileiro conhecido no mundo inteiro, consegue utilizar a fotografia como meio de representação de um diálogo com a História da Arte, que chega ao entendimento de todos pela simplicidade dos materiais que utiliza, quebrando a idéia de que arte é algo que só quem lida com ela entende.


Único filho de pai garçom e mãe telefonista, ainda adolescente mudou-se para os Estados Unidos onde passou cinco anos vivendo de subemprego, muitas vezes dormindo na rua. Trabalhando numa molduraria de Nova Iorque, passou a fazer quadros kitsch e produzir estranhas e incomuns esculturas que lhe abriram as portas do circuito de arte da cidade.
Serragem, açúcar, areia, papel de parede, jornais e lixo já foram usados em obras de arte por Picasso e Braque por volta de 1912 em Paris. Acrescentando novos elementos como algodão, chocolate, açúcar, arame, terra, barbante, especiarias, lixo, gel, mel, poeira e muitos outros, Vik Muniz, de uma maneira radicalmente criativa, produz obras que impressionam pela inovação e criatividade.
O trabalho mais barato de Vick Muniz custa 5 mil dólares, sendo que um conjunto de 14 painéis de sua autoria foi arrematado num leilão em Paris pela bagatela de 150 mil dólares. Sempre que vende um trabalho onde retrata problemas sociais ele doa parte da renda para instituições de crianças e adolescentes carentes.
- "Os pobres precisam de dinheiro. É preciso ajudá-los diretamente". – diz com a experiência de quem já passou necessidades.
Muniz fez uma exposição individual no University of South Florida Contemporary Art Museum, em Tampa, Flórida, atualmente denominada "Vik Muniz: Reflex". Esta exposição, organizada pelo Museu de Arte de Miami, esteve em exposição no Seattle Art Museum e no PS1 Contemporary Art Museum em Nova Iorque. Até Janeiro de 2008 a exposição esteve em exibição no Musée d'Art Contemporain em Montreal, Quebec (Canadá). Muniz também publicou um livro, "Reflex - A Vik Muniz Primer" (2005: Aperture Foundation, Nova Iorque), que contém uma compilação do seu trabalho e seus comentários sobre ele.
Seu trabalho também foi destaque no "The Hours-Visual Art of Contemporary Latin America" (2007), mostra apresentada no Museu de Arte Contemporânea de Sydney, New South Wales, Austrália. Depois de uma bem-sucedida temporada no MAM-RIO, batendo recorde de público com 48 mil visitas, a mostra "Vik" chega ao MASP, onde permanecerá até o dia 12 de Julho.


sábado, 2 de outubro de 2010

Melhores fotos - National Geographic

Pra quem gosta das imagens da revista National Geographics, está nas bancas uma edição especial com as 100 melhores fotos. Muito boas mesmo!
 







Outro programa que vale a pena e que descobri hoje, é uma série na Nat Geo (National Geographic Channel) , é  " As Melhores Fotos" onde eles mostram como algumas fotos de capa foram feitas. Ele passa no Nat Geo aos sábados às 19:00 e são dois episódios seguidos de meia hora cada. Os de hoje foram "Sequoia Gigante" (sobre uma foto montada a partir de mais de 80 fotos indivuduais) e "polinizadores" (sobre macrofotografia de insetos).

Se descobrir quando vão reapresentar posto aqui. :)

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

29ª Bienal de Artes de São Paulo



Ontem, fui com alguns outros colaboradores do Arte-o-rama, fazer minha primeira visita à Bienal.
Uma coisa que impactou de cara foi a ausência de cor, ou melhor o maior evento de artes de São Paulo tem, nessa edição, cor de papelão.
Outra coisa que eu notei, é que algumas (pra não dizer muitas) das obras, não tem muita explicação, então pra quem gosta de saber mais sobre obras e artistas, eu sugiro que dê uma olhadinha no site da Bienal  

http://www.29bienal.org.br/FBSP/pt/29Bienal/Paginas/default.aspx 

antes de ir até o Ibirapuera, e mais especificamente nas explicações sucintas que o site tem de cada artista  participante.

http://www.29bienal.org.br/FBSP/pt/29Bienal/Participantes/Paginas/default.aspx  

O evento está muito grande, por isso certamente estarei lá de novo na semana que vem :)

Ah, algumas dicas... Pode fotografar, sem flash, dentro do pavilhão, mas não pode usar mochila. Existe uma chapelaria onde os "mochileiros" (como eu) podem deixar suas coisas. Bolsa de mulher pode! ;)
Outra coisinha interessante é que às 14:30, 15:30 e 16:30 (não sei se tem outros horários) sai, de porta de entrada, uma visita guiada de uma hora. Fiz ela ontem, e apesar do tempo ser absurdamente pequeno, sempre ajuda a entender o que se vê.